12 de out de 2011

[ Caio Fernando Abreu ]

"Eu quis tanto ser a tua paz, quis tanto que você fosse o meu encontro. Quis tanto dar, tanto receber. Quis precisar, sem exigências. E sem solicitações, aceitar o que me era dado. Sem ir além, compreende? Não queria pedir mais do que você tinha, assim como eu não daria mais do que dispunha, por limitação humana. Mas o que tinha, era seu."

[ Caio Fernando Abreu ]

Eu sentia profunda falta de alguma coisa que não sabia o que era. Sabia só que doía, doía. Sem remédio.

por Camila Lourenço


"Novos ciclos só começam quando finalizamos o que estamos.
Novas portas só se abrem quando ousamos dar um passo em direção à maçaneta.
Novos amores só surgem quando a nostalgia deixa de ser companhia no café da manhã, almoço e lanche da noite.
Nos libertemos.
Até mesmo um masoquista sabe a hora de parar."

"confissões de adolescente - do seu lado"

Lembra de quando a gente sentava nesses bancos...
De como era importante seguir a nossa rotina, parar ali e olhar um para o outro, isso fazia o mundo parar por algumas horas...
E quando a gente se dava conta ja era tarde, ja passava da hora de chegar em casa...
eram tempos tão bons a gente se amava e se contentava com pouco mais era um pouco tão muito... uma hora nossa valeria por qualquer esforço, o dia poderia ter ido mal mais naquele momento todos os problemas perdiam a importância, porque importante mesmo era estar lá... do seu lado!!!

9 de out de 2011

☁ ☁ ☁

Tem horas em que acabam-se as palavras, os sentimentos por mais que estejam aqui dentro ja não respondem a tantas perguntas...

Tudo novo de novo...

O choro secou. Um outono doce impera com seu aconchego de amor e lucidez, suaves. E esse abraço aveludado que chegou repentinamente, num calorzinho de cuidados e curas. Não restam mais feridas. A dor perdeu seu lugar na minha rotina e foi procurar outros rumos. Tenho novos sonhos e um sono novo e profundo. Suavemente tudo mudou de ritmo e celebrei o tempo de cada novo passo. A princípio tive tanta ansiedade, porque tudo parecia um turbilhão, mas de que adianta tentar pular aprendizados? Se é de poesia que o poeta precisa, vamos a ela e não mais à repetição de uma melancolia eterna e bem aprimorada. Chuva e sol, calor e frio: eis o equilíbrio da vida. Se eu nasci com o sorriso mais largo do mundo, não vou entristecer o meu olhar nem anestesiar minha alegria. O choro secou. Já era tempo de prestar mais atenção em outras cores, promover como prediletas outras flores e entrar no mar sem medo, furando a onda com respeito e repetindo a cena com entrega e confiança. Nada ficou fragmentado. Saí inteira e o amor em mim transborda: pele aceitando carícia, olhar brilhando com a menor das delícias. O toque é novo e a respiração tranqüila. Às vezes ainda ofego um pouco, mas quem disse que artista nasceu para sentir pouco? Importante agora é que o choro secou. Antes o meu pranto era cego. Tive que olhar longamente no espelho pra saber o que ainda poderia resgatar de mim. Não quis nada do que restou, quis o meu sorriso novo, minhas portas abertas e a vontade de saltar novamente no desconhecido. E hoje eu só choro se for de alegria.

8 de out de 2011

Falando de amizade por Ana Maria A. Bonadia

Você nasce sem pedir e morre sem querer...
Por isso, aproveite o Intervalo SENDO FELIZ!!!
Passados mais de 50 anos, eis o que aprendi:
O Tempo passa.
A vida acontece.
A distância separa.
As crianças crescem.
Os empregos vão e vêem.
O amor fica mais frouxo.
As pessoas não fazem o que deveriam fazer.
O coração se rompe.
Os pais morrem.
Os colegas esquecem os favores.
As carreiras terminam.
Mas..... os verdadeiros amigos estão lá, não importa quanto tempo e quantos quilômetros estejam entre vocês.
Um amigo nunca está mais distante do que o alcance de uma necessidade, torcendo por você, intervindo a seu favor e esperando você de braços abertos; abençoando sua vida!
Todos nós, quando iniciamos esta aventura chamada vida, não sabíamos das incríveis alegrias ou tristezas que estavam adiante,
nem sabíamos o quanto precisaríamos uns dos outros.
Moral da história: A amizade não se resume só em horas boas,
alegria e festa. Amigo é para todas as horas, boas ou ruins, tristes ou alegres.

PERDOE AS DESAVENÇAS QUANDO HOUVER,

SEJA FELIZ AO LADO DELES PORQUE O VALOR QUE ELES TÊM NÃO TEM PREÇO..

5 de out de 2011

"Cartas não entregues - Só alguém que me dê o valor merecido "

Eu quero alguém que se interesse pelas coisas que eu conto, nem que seja coisas do trabalho, das minhas amigas, ou até mesmo as decepções passadas, de um velho amor…
Alguém que sinta ciúme de mim, mas não em exesso, que fiquei doido de ciúme, e faça com que eu peça com uma voz de bebê para ele parar, e se isso não adiantar, fico nervosa, e ele me enche de carinho, e diz que eu fico linda quando tô nervosa.
Alguém que vai fazer com que eu dê tapas de raiva nele, e ainda vai dizer que eu não sou de nada, e com isso, vai fazer com que eu bata ainda mais forte, até que ele segure minhas mãos, me beije e diga que me ama...
Alguém que vai fazer com que eu me sinta única. Alguém que vai fazer com que eu me sinta bem por saber que faço alguém feliz. O mesmo, que vai dizer: o que que eu não faço por ti, né? E vai fazer eu rir que nem uma boba. Alguém que vai dizer que ama ouvir a minha risada. Vai se interessar pelo meu dia. E vai apenas, me dar um abraço quando eu estiver mal, sabendo que palavra alguma vai fazer com que eu me sinta bem. Alguém que mande sms de bom dia, boa noite, ou um simples “eu te amo” no meio da tarde. Eu quero alguém que vá gostar de mim com a mesma intencidade que eu corresponder. Só alguém que me dê o valor merecido, só.

* Tati Bernardi *

"À propósito, te agradeço.
Não por ter me magoado e ido embora como se nada tivesse acontecido.
Mas por ter me ensinado a ser mais forte.
E menos tola."

4 de out de 2011

❤❤❤

Eu jamais chegaria aonde cheguei se só andasse em linha reta. Tive que voltar atrás, andar em círculos, perder dias, perder o rumo, perder a paciência e me exaurir em tentativas aparentemente inúteis pra encontrar um quase endereço, uma provável ponte: a entrada do encontro. Acertei o caminho não porque segui as setas, mas porque desrespeitei todas as placas de aviso.

☁ ☁ ☁

Não percebi a chegada do outono. Mas eu sentia que estava embarcando numa nova estação: todas as árvores que (não) plantei, de repente, estavam nuas. E eu caminhava num tapete de folhas e flores. Os caminhos também se estreitaram e tive uma sucessão de perdas, ou melhor, tive uma sucessão de trocas. E assim, como toda pessoa que tem um coração pulsando, fiquei assustada demais com as mudanças. Mas agora já consigo perceber beleza na nudez de cada uma das minhas árvores prediletas. Elas apenas estão trocando de roupa enquanto eu troco de pele, tamanha cumplicidade.

"confissões de adolescente - paixão passa"

Engraçado como paixão passa, um dia você acorda pensando na pessoa e é assim o dia todo, você fica pensando no que vai fazer, no que vai falar quando com ela encontrar, mas na hora nada do que você ficou imaginando acontece, engraçado é que depois de duas semanas tudo isso fica parecendo piada pra você, porque você ja não sente e nem pensa em nada, nem na pessoa.

"Migalhas da minha memória"

Alguém me ensina a pensar menos nele? Alguém me ensina a não repetir centenas de vezes à mesma cena na cabeça? E não fazer dessas lembranças o meu maior martírio? Porque dói, dói muito pensar que há pouco tempo eu estive inteira com ele e o deixei partir, assim, sem insistir, sem nem um “fica mais um pouco?”. É possível não sentir esses arrepios ao lembrar-me do toque, do cheiro, do beijo dele? Ah, eu daria tanta coisa para que aquele anjo estivesse aqui comigo agora, hoje, amanhã, sempre. Eu daria tudo pra vê-lo sorrir mais uma vez pra mim, mas quando estou com ele fico tão pequena, entrego-lhe o que ainda me resta, ele vai embora e eu fico aqui, me sentindo incompleta, me sentindo um nada, sobrevivendo apenas de migalhas da minha memória.

Deixaste de me amar

Seu olhar estava distante, não me olhava como antes...
Quando me beijava, parecia ser outra em meu lugar.
Você ja não sorria, você nem mesmo me via.
Eu não queria acreditar, mas tive que aceitar, que você havia deixado de me amar.

1 de out de 2011

por Martha Medeiros

"Crescer custa, demora, esfola, mas compensa.
É uma vitória secreta, sem testemunhas.
O adversário somos nós mesmos."

[ Leticia Thompson ]

Quatro estações são necessárias para que se possa passar adiante depois de uma perda. O primeiro tudo depois da morte é sempre o mais difícil: o primeiro aniversário, o primeiro natal, o primeiro réveillon, as primeiras férias... são as ocasiões mais doloridas.
Mas o passar dos dias ameniza a dor e vai dando lugar a uma certa nostalgia, ao carinho da lembrança.
Pensamos no instante da perda que nunca mais seremos capazes de sorrir, mas isso não é verdade. Depois de algumas auroras e alguns entardeceres, vamos descobrindo que a vida ainda está muito presente, que ainda somos capazes de nos alegrar com outras coisas, sem que isso diminua o amor e a saudade que sentimos de quem partiu.
Aceitamos dificilmente a morte porque nos esquecemos com facilidade que nossa vida na terra é apenas uma passagem. E quando alguém parte, é como se acordássemos para essa realidade: somos eternos para a vida, mas não a terrena! Inconscientemente pensamos na nossa própria morte e na daqueles que ainda estão conosco.
Mas... enquanto o sangue pulsar nas nossas veias, é a vida que pulsa e tudo o que podemos e devemos fazer é vivê-la. Alguém que amamos parte para sempre e isso é tremendamente doloroso. Essa pessoa é insubstituível ao nosso coração, já que cada pessoa é única em si no nosso viver e somos conscientes disso. Mas outros que amamos e que nos amam ainda estão por aqui e isso deve ser motivo de alegria e reconforto.
Por esses, pelo menos, devemos nos reerguer, reagir, fazer um esforço. E para nós, para nosso bem. Deus nos consola; amigos, família nos consolam... só precisamos é aceitar as mãos estendidas. Quatro estações e um pouco de paciência... o sol vai brilhar novamente, a alegria vai de novo encher o coração e tudo vai voltar ao normal. É preciso acreditar nisso!