17 de abr de 2011

"confissões de adolescente - como pude"

Como pude gostar, me apaixonar, amar, me dar por inteiro, há uma pessoa que é o meu oposto, que não combina comigo, que esta sempre me deixando insegura, que me ofusca, que me faz sentir estranha quando estou normal.
Estava esses dias, esses meses, esses anos todos com uma venda nos meus olhos, impedindo com que eu visse a verdade, com que eu enxergasse que você não tem nada a ver comigo, que eu não gosto das mesmas coisas que você e que perto de você me sinto menor, quando deveria me sentir maior.
Você nunca vai ser o que eu quero, o que eu busco, e eu nunca vou ser a pessoa que você merece, a pessoa que parece com você e eu não sou assim...
Porque eu gosto de você, ou eu apenas me acostumei com você e me acomodei tanto, que não parei para ver, que eu preciso de um amor de verdade, não isso que nos criamos e que mesmo querendo não estou conseguindo terminar.
Antes eu dizia que so namoraria uma pessoa que eu visse todos os dias, mas descobri que isso é uma grande bobagem, porque agora que eu estou longe de você, vejo que o que existe entre nos não é, ou melhor não foi forte o bastante para nos manter juntos, então que se eu estivesse com alguém que esta longe daria no mesmo, pois estando perto ou longe, quando a distância vem, o tempo que ficamos juntos antes vira passado, deixando a distância construir nosso futuro...

Desejo...















Ao passar por você, me olhou de um jeito...
Me senti nua
O seu olhar confeço fiquei encabulada
Radiante foi como me senti
Sem pensar correspondi
Afinal adorei ser desejada, lutar contra porque?
O destino me encarregou de mostrar que nascemos um para o outro
Amor é exatamente isso que senti
O seu olhar bastou... para te desejar.

por Elizabeth Soares